Hoje
Máx C
Mín C

“Transparência ecológica” para descobrir no NAC

Exposicaotransparenciaecologica2 1 728 2500

O aquecimento global é a inspiração da exposição "Transparência ecológica - do trópico ao glaciar”, que foi inaugurada no passado dia 18 de maio, no Núcleo de Arte Contemporânea do Museu do Vidro, situado na Praça Guilherme Stephens, na Marinha Grande.

A autoria da exposição é de Teresa Almeida que, neste âmbito, mostra ao público os trabalhos em vidro que tem vindo a criar, a partir da sua reflexão acerca do aquecimento global e as respetivas consequências para o meio ambiente.

A abertura da exposição ocorreu no Dia Internacional dos Museus e foi testemunhada pela presidente da Câmara Municipal, Cidália Ferreira; pela vereadora da Cultura, Célia Guerra; pela artista Teresa Almeida; e por vários convidados.

A presidente da Câmara recorda que, já não é a primeira vez que o NAC exibe obras da artista e salienta o seu “orgulho em acolher no NAC esta exposição que alerta para as alterações climáticas, em criações artísticas de grande beleza estética”.

Para a vereadora da Cultura, Célia Guerra, “esta exposição coloca-nos um desafio enorme: sensibilizar, envolver e despertar na consciência de quem a visita a preocupação com o ambiente e alertar para os perigos do aquecimento global”, sendo “uma mais-valia para a consciencialização individual e coletiva da necessidade de respeitarmos, preservarmos e valorizarmos o que é de todos”.

Dividida em duas temáticas, a exposição “Transparência ecológica - Do trópico ao glaciar” apresenta-nos obras inspiradas nos corais, realizadas em vidro luminescente, desprovidas de cor que, quando expostas à luz ultravioleta, ganham vida através das suas cores luminosas. No espaço expositivo há, inclusivé, uma sala escura com luzes ultravioletas, onde é possível observar o efeito resultante desta conjugação.

Contrastando com estas obras, cheias de vida mas simultaneamente tão frágeis, são-nos apresentadas obras dedicadas à temática do degelo das regiões polares e dos glaciares, que se caracterizam pela sua monocromia, transparência e fragilidade.

Teresa Almeida foi vencedora de vários prémios nacionais e internacionais, expondo regularmente em Portugal e no estrangeiro. É detentora de um vasto conhecimento e experiência no trabalho do vidro como matéria de criação nas artes plásticas.

Com esta exposição pretende alertar para os problemas ambientais, afirmando que “o contributo para a reflexão, não tem que ser necessariamente levado a cabo com violência…O pacifismo tem alma. Não é preciso gritar. Importa é sentir, e na contemplação descobrir a essência da mensagem.”

A exposição “Transparência ecológica - Do trópico ao glaciar” pode ser visitada gratuitamente até às 20 de outubro de 2019, de terça-feira a domingo, das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00.

image title
image title
image title
image title
image title