Hoje
Máx C
Mín C

Festival ACASO e Miguel Gameiro atuam na Marinha Grande

Miguel gameiro1 1 728 2500

No mês em que celebra o terceiro aniversário da sua reabertura, a Casa da Cultura Teatro Stephens, na Marinha Grande, apresenta espetáculos de teatro inseridos no Festival ACASO e um concerto com o músico Miguel Gameiro.

A programação para o mês de outubro de 2017 é a seguinte:

13 de outubro . sexta . 21h30
XXII ACASO Festival de Teatro - LEÔNCIO & LENA A partir de Georg Büchner
Sinopse|
Dois reinos dividem o Algarve, o pequeno reino do Barlavento e o pequeno reino do Sotavento.
Leôncio e Lena são príncipes destes distintos reinos. Por vontade real os seus destinos cruzar-se-ão por vias do matrimónio. Ambos fogem para Lisboa. Sim, diz que se cruzam e sem se conhecerem apaixonam-se e casam. Ah o acaso e tal, mas não é bem assim.

Ficha Artística |
Encenação e Espaço Cénico - João de Brito
Interpretação - André Nunes, Carlos Malvarez e Joana Ribeiro Santos
Desenho de Luz - Nuno Figueira
Fotografia, Vídeo e Documentário - Rita Figueiredo
Produção - LAMA
Apoio à Produção e Difusão - Daniela Sampaio e Joana Ferreira / OX | P
Classificação Etária | M/12
Duração | Aprox. 90m
Preço | 8€

25 de outubro . quarta . 21h30
MIGUEL GAMEIRO & PÓLO NORTE | Espetáculo comemorativo do 3.º aniversário da reabertura do Teatro
Sinopse|
Em 1994 junta-se a António Villas Boas e Tiago Oliveira para formar os Pólo Norte. Editam o primeiro álbum do grupo, "Expedição", produzido por Fernando Cunha (Delfins) e que viria a atingir o galardão de disco de ouro. "Lisboa", "Amor é" e "Grito" (com a participação especial de Miguel Angelo) foram algumas das canções mais marcantes. Em 1996 e depois de dois anos em concertos sucessivos por todo o país edita, "Aprender a ser feliz", gravado no estúdio de “Vale de Lobos" com a produção a cargo de “Fernando Júdice" (Trovante e Madredeus). "Aprender a ser feliz" chegaria também a disco de ouro. Em 1999 gravam o seu terceiro álbum, "Longe", produzido por Jony Galvão. Em 2000, o grupo sentia-se preparado para a gravação de um disco ao vivo, que viria acontecer na mítica Aula Magna, e que celebrava os inúmeros concertos realizados pela banda até então. Em 2002 ruma a Madrid, para a gravação de "Jogo da Vida", com a produção a cargo de Bori Alarcón. Em 2005, edita "Deixa o Mundo Girar" produzido por Steve Lyon, (Depeche Mode, The Cure), aclamado como um dos melhores trabalhos do grupo até então.
Desse álbum, "Deixa o Mundo Girar", "A Dança" e "Pele", foram a as canções com maior destaque.Em 2008 grava aquele que seria o disco de celebração de 15 anos de carreira, "Pólo Norte 15 Anos", que reúne os mais marcantes êxitos do grupo e dois originais "Asa Livre" e "Jeito de Ser".
Em 2010 Miguel Gameiro lança o seu disco de estreia a solo, "A Porta ao Lado” que atinge o galardão de Disco de Ouro com mais de 13.000 unidades vendidas. “Dá-me um Abraço” é uma das canções mais tocadas pelas rádios entre 2010/2011, tendo sido nomeada para os Globos de Ouro da Sic. Seguem-se as canções “O Teu Nome” e “Alquimia”, que também obtêm grande receptividade por parte do público.
Três anos depois de “A Porta ao Lado” e de muitos concertos um pouco por todo o país, Miguel Gameiro lança o seu segundo disco a solo “11 Canções”. “Já Não Canto Essa Canção” é o primeiro single extraído deste álbum, seguindo-se “Porque é que a gente não se dá”.
Em 2013 segue-se a compilação de 20 anos de carreira com a edição de “Miguel Gameiro & Polo Norte-20 Anos”. Ainda durante este ano é convidado por Mariza, para compor uma canção, que viria a ser um dos seus maiores êxitos de sempre “ O Tempo não pára”.
2017, marca o regresso de Miguel Gameiro com um novo disco a solo e com um novo espectáculo...

Ficha Artística |
Miguel Gameiro – Voz e guitarra
Duarte Carvalho – Cajón
Quintino Marau – Baixo
Pedro Zagalo – Teclados
Tiago Oliveira – Guitarra
Tó Almeida - Guitarra
Classificação Etária | M/6
Preço | 15€

27 de outubro . sexta . 21h30
XXII ACASO Festival de Teatro - ESTRANGEIRAS A partir de Slawomir Mrozek
Sinopse|
A partir do texto de Slawomir Mrozek (Polónia) o clássico da dramaturgia mundial, “Os Emigrantes”, convidamos o público a experimentar uma nova abordagem.
Utilizando uma linguagem estilizada onde o principal alvo é o comportamento humano, os aspetos perversos e a loucura da sua vida quotidiana é criado um texto completamente novo.
Aproveitando a atualidade em que o mundo é diariamente confrontado com o fenómeno da emigração clandestina sem que o poder decisório encontre uma solução, é feita uma tentativa no sentido de explorar o absurdo de algumas situações limite onde os seus intervenientes continuam a sonhar com um regresso e uma vida de sonho inalcançável. Sendo a temática da igualdade do género um dos vectores de trabalho da TENDA, será apresentada uma dramaturgia completamente nova, inspirado neste clássico de forma livre e criativa, sendo que os dois protagonistas serão mulheres.

Ficha Artística |
Encenação e Dramaturgia: Hélder Gamboa
Interpretação – Ângela Pinto e Sylvie Dias
Cenografia e Figurinos – Rui Filipe Lopes
Desenho de Luz – Paulo Graça
Música Original – Luís Lucena
Design Gráfico – Gonçalo Ferreira
Fotografia - Artepertinace
Produção Executiva – Miguel Manaças
Produção – Tenda Produções
Classificação Etária | M/16
Duração | Aprox. 90m
Preço | 8€

 

Bilheteira: Teatro Stephens, de terça-feira a domingo, das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00 e nos dias de espetáculos até às 22h00.