Hoje
Máx C
Mín C

Festival de Jazz continua na Marinha Grande

Festival jazz logo 1 728 2500

O 3º Festival de Jazz da Marinha Grande teve início no passado sábado, 11 de novembro, na Casa da Cultura Teatro Stephens, com a apresentação dos Combos resultantes das oficinas de jazz. O evento prossegue este fim-de-semana, com as atuações de João Barradas Trio e Mário Laginha Trio.

A iniciativa é organizada pela Câmara Municipal e decorre até 25 de novembro, tendo como objetivo divulgar o jazz nacional e internacional, com direção artística a cargo do saxofonista César Cardoso.

A programação do 3º Festival de Jazz da Marinha Grande é a seguinte:

17 NOV. 21h30
JOÃO BARRADAS TRIO | Espetáculo de arranque da 3ª Edição do FESTIVAL JAZZ DA MARINHA GRANDE
João Barradas é um dos mais conceituados e reconhecidos acordeonistas europeus, movendo-se, simultaneamente, entre a música Clássica, o Jazz e a música improvisada.
Venceu alguns dos mais prestigiados concursos internacionais, dos quais se destacam, entre outros, o Troféu Mundial do Acordeão, que vence por duas vezes, o Coupe Mondale de Acordeão, o Concurso Internacional de Castelfidardo e o Okud Istra International Competition. Em 2016 gravou, com a Inner Circle Music, o seu primeiro álbum enquanto líder. “Directions” conta com a produção de Greg Osby e com as participações de Gil Goldstein e Sara Serpa. Apresenta-se em Trio com os músicos André Rosinha e Bruno Pedroso.

Ficha Artística |
João Barradas – Acordeão
André Rosinha – Contrabaixo
Bruno Pedroso - Bateria
Classificação Etária | M/6
Duração | Aprox. 60m
Preço: 8 euros

18 NOV. 21h30
MÁRIO LAGINHA TRIO
Mário Laginha não é o homem dos sete instrumentos, porque o seu instrumento é o piano, mas o pianista gosta de navegar pelos muitos mundos sonoros que fazem o planeta música. Basta espreitar para os discos que gravou com a cantora Maria João, marcados pela linguagem do jazz, mas por onde perpassam influências que vão da música portuguesa e a clássica (sobretudo no disco a solo “Canções e Fugas”), até à pop anglo-saxónica ou às músicas brasileira e africana, para percebermos que estamos perante um músico que não gosta de ser catalogado em categorias estanques.
No trio que mantém com o contrabaixista Bernardo Moreira e o baterista Alexandre Frazão, com quem gravou até agora 2 discos, Mário Laginha mantém esse gosto pela mistura, pela diversidade e pelo risco.

Ficha Artística
Mário Laginha – Piano
Bernardo Moreira – Contrabaixo
Alexandre Frazão – Bateria
Classificação Etária | M/6
Duração | Aprox. 60m
Preço: 10 euros

24 NOV. 21h30
ANDRÉ FERNANDES “CENTAURI”
Qualquer alma que devote o mínimo de atenção às movimentações jazzísticas portuguesas da última década e meia sabe que, quando se fala de guitarristas, há um nome que se destaca acima de qualquer suspeita: André Fernandes.
Exímio instrumentista e dotadíssimo compositor, já tocou com uma miríade de enormes jazzmen nacionais e estrangeiros que lhe elogiam a originalidade (Lee Konitz, Mário Laginha, Maria João, Bernardo Sassetti, David Binney entre outros), a vitalidade e a versatilidade artística. “Centauri” junta Fernandes a dois dos mais talentosos e jovens saxofonistas portugueses, José Pedro Coelho e João Mortágua, e a uma das mais jovens e requisitadas secções rítmicas nacionais em Francisco Brito e João Pereira.

Ficha Artística |
André Fernandes: Guitarra e Composição
José Pedro Coelho: Saxofone Tenor e Soprano
João Mortágua: Saxofone Alto e Soprano
Francisco Brito: Contrabaixo
João Pereira: Bateria
Classificação Etária | M/6
Duração | Aprox. 60m
Preço: 8 euros

25 NOV 21h30
DEMIAN CABAUD QUINTETO
O quarteto de Demian Cabaud segue uma premissa de Kandinsky: “Não devemos tender à limitação, mas à libertação, pois só a liberdade nos permite acolher o futuro”. É com esta perspetiva de reinvenção do jazz que o contrabaixista e compositor de origem argentina, mas residente em Portugal há 15 anos, convida os músicos Ariel Bringuez, Xan Campos e o lendário Jeff Williams a conceber e executar uma visão musical da liberdade em que a improvisação é predominante, percorrendo inesperados caminhos entre os espaços da ordem e do caos, do concreto e do abstrato, do sossego e do desassossego.
Trata-se de uma música “fresca, que vive cada momento e nunca se repete”.

Ficha Artística |
Demian Cabaud - Contrabaixo
Ariel Bringuez - Saxofone tenor
Xan Campos - Piano
Jeff Williams - Bateria
Iago Fernandez - Bateria
Classificação Etária | M/6
Duração | Aprox. 60m
Preço: 8 euros

Bilheteira: Teatro Stephens, de terça-feira a domingo, das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00 e nos dias de espetáculos até às 22h00.