Hoje
Máx C
Mín C

Discurso do presidente da Assembleia Municipal cessante

Telmoferraz 1 728 2500

SESSÃO DA TOMADA DE POSSE DA CÂMARA MUNICIPAL E ASSEMBLEIA MUNICIPAL PARA O QUADRIENIO DE 2017 a 2021


"-Excelentíssima Sra. Presidenta da Câmara.
-Excelentíssimos Srs. Vereadores
-Excelentíssimos Sras. e Srs. Deputados
Senhora e Senhores Presidentes das Juntas e restantes autarcas.
Excelentíssimo Sr. Presidente e vereadores cessantes.
-Senhoras e Senhores convidados
-Minhas Senhoras e meus Senhores
-Marinhenses
Ao fim de mais de 40 anos da minha actividade autárquica, sinto-me honrado por ter ocupado os cargos para os quais fui eleito pelos Marinhenses, primeiro em 1976 para a Assembleia de Freguesia da Marinha Grande, depois para a Assembleia Municipal sendo nos últimos dois mandatos Presidente deste Órgão Deliberativo.
Com o acto de instalação da Assembleia Municipal e Câmara Municipal para o quadriénio de 2017 a 2021 termina aqui a minha participação como eleito mas, enquanto puder, não terminará a minha participação cívica na ajuda á construção de um Concelho cada vez melhor, mais inovador, mais acolhedor, mais solidário.
Permitam-me assim deixar aos novos eleitos , algumas preocupações que afinal são de todos nós, mas também uma renovada esperança de que, com o trabalho de todos vós, numa tão perfeita quanto possível unidade em defesa dos justos interesses dos Marinhenses, saberão encontrar o caminho que nos levará ao êxito cumprindo os juramentos que acabaram de fazer.
A catástrofe que se abateu sobre todos nós no dia 15 de Outubro, a todos nos responsabiliza para que das cinzas e negrura das arvores renasça uma nova floresta, seguindo as técnicas mais inovadores de florestação e um ordenamento que a defenda no futuro.
Nesta altura, sem esquecer esta desgraça há muito anunciada, o mais importante é criarmos rapidamente condições para voltarmos a ter o nosso Pinhal do Rei , como polmão do nosso Concelho
Se 2/3 do nosso território era floresta e queremos que o continue a ser no futuro, então, devemos exigir ao poder central que nos conceda e responsabilize pela sua gestão transferindo-nos meios financeiros e humanos para que o possamos fazer com o profissionalismo que esta mata justifica e a sua natureza histórica obriga.
Como quase sempre, as tragédias naturais ou outras, trazem consigo também oportunidades que devidamente tratadas podem servir para que se consigam ganhos no futuro.
São estas oportunidades que devemos estudar e trabalhar em unidade, na procura das melhores soluções e dos meios humanos e financeiros para as implementar.
Todos, mas mesmo todos, devemos estar disponíveis para este trabalho ciclópico que é de todos e para todos. Para o bem do Concelho, Poder e Oposições, devem compreender que terá que ser muito mais o que nos une, que são os interesses da Marinha Grande, do que aquilo que nos possa dividir, que são eventuais interesses pessoais ou de grupo.
Todos , mas mesmo todos, devemos estar disponíveis para apoiar as organizações de protecção civil, nomeadamente os Bombeiros Municipais das duas Freguesias.
No anterior mandato, foi aprovado um documento programático que pode e deve servir , agora ainda mais do que antes de 15 de Outubro, para uma radical transformação do nosso Concelho, com melhor ordenamento e melhoria ecológica, turisticamente mais atractivo, mais inovador e com maior melhor captação de novos residentes.
Refiro-me ao Pacto Territorial para o Emprego, o PTE, que pode e deve ser um instrumento de verdadeiro programa de governo local , gerido por uma equipa profissional e competente, que nos leve ao desenvolvimento harmonioso e sustentável do Concelho.
-Há mais de 200 anos a Marinha Grande é um Concelho predominantemente industrial.
Antes, era de mão d, obra intensiva, hoje é de capital intensivo, seja no sector de vidros de embalagem, nos moldes ou nos plásticos.
A inovação é hoje um factor determinante do desenvolvimento industrial no Concelho.
A inteligência artificial a digitalização e a robótica são ferramentas cada vez mais usadas nas nossas empresas.
A chamada industria 4.0, uma vez mais como pioneiros nomeadamente na Industria de Moldes, começa a ser introduzida nas nossas empresas.
O futuro, ganha-se hoje, desde que o saibamos prever e controlar as variáveis que temos ao nosso dispor e podemos controlar.
Por tudo isto, o governo local deve criar condições de acompanhamento e cooperação com as nossas empresas, procurando saber do que necessitam da autarquia, afim de facilitar a sua actividade empresarial.
Precisamos de um verdadeiro “simplex “ de procedimentos, em todas as prestações das nossas Autarquias. A interlocução entre as empresas e a Autarquia deve ser directa , sem burocracias e com preços competitivos nas taxas e licenças.
Para já e sempre que possível em concertação com as instituições empresariais do Concelho, devemos conseguir
aumentar a oferta de solos disponíveis a preços justos para a instalação de novas empresas, seja com o alargamento da nossa principal zona industrial, seja na Marinha Pequena ou Pero Neto, na Moita ou Vieira de Leiria.
Todas estas zonas industriais devem ser devidamente infra-estruturadas a pensar na informatização e digitalização.
Mas não é possível um verdadeiro desenvolvimento industrial sem recursos humanos com formação académica adequada.
A evolução tecnológica pode trazer consigo um maior número de desfavorecidos, ou seja, mais desemprego e
mais pobres no Concelho por falta de formação para usarem estas novas tecnologias.
Assim, devemos ter uma atenção muito especial sobre a formação dos jovens que mais tarde irão trabalhar nas empresas do Concelho.
Desde logo, a oferta do pré-escolar para todos, independentemente das condições financeiras dos seus agregados familiares.
Depois, nos ensinos secundários de formação profissional ou universitário.
6
O nosso Concelho, é dos poucos no Distrito, onde não há Centros Escolares com todas as valências de formação para as nossas crianças e jovens. Achamos que não será conveniente a construção de Centros Escolares com grande concentração de crianças e jovens, mas achamos também que devem ser construídos urgentemente Centros Escolares adequados á nossa realidade onde as nossas crianças e jovens tenham todas as condições para se formarem devidamente, desde o pré-escolar ao ensino secundário.
Minhas senhoras e meus senhores.
Com a esperança de vida a aumentar é inevitável que cada vez mais haverá pessoas idosas no nosso Concelho.
Há pois que ajudar na criação de várias actividades para estas pessoas. Há já no Concelho boas experiências criadas pela chamada sociedade civil que justificam ser acompanhadas e apoiadas pelos Poderes Autárquicos.
Sabemos também que há pessoas a viver mal e que precisam da nossa ajuda.
Como diz o provérbio chinês, é preferível dar-lhes a cana para pescar do que lhes oferecer o peixe. Mas há muitas que já não têm forças para pescar e essas, têm que receber apoios para poderem ter uma vida digna.
Mas felizmente para nós, há também jovens que se vão notabilizando nas suas áreas de intervenção, servindo de exemplo a outros jovens, cujo trabalho deve ser reconhecido e apoiado pela Autarquia. Apenas como
referência, sem esquecer todos os outros, lembro aqui os casos recentes de André Barros na música e Nuno Saraiva no Judo , cujos sucessos nos devem orgulhar, como Marinhenses.
Sra. Presidenta da Câmara, minhas Sras. e meus Srs.
V. Exa. é a primeira mulher a ocupar o lugar de Presidenta da Câmara Municipal do nosso Concelho.
Começa o seu mandato tendo pela sua frente um enorme trabalho de reconstrução de 2/3 do nosso Concelho, a que acrescenta o programa com que se apresentou ao eleitorado e da sua maioria, recebeu o mandato para o executar.
Não é por ser Mulher mas, na situação actual, vai precisar da ajuda de todos para cumprir a sua difícil missão.
Nesta altura, trágica para o Concelho, poder e oposições devem saber que mais importante do que estados de alma de cada um, ou tacticismos políticos de partidos ou grupo, o mais importante é a Marinha Grande, no conjunto das suas 3 Freguesias. É isso que vos obriga o juramento que fizeram , é isso que os Marinhenses esperam de vós.
Durante os meus dois mandatos, trabalhei com dois Presidentes de Câmara, Alvaro Pereira e Paulo Vicente. De ambos recebi o respeito institucional pelo cargo que até hoje exerci assim como deles recebi sempre, a sua amizade pessoal. A ambos agradeço a colaboração que sempre me prestaram no desempenho das minhas funções o que contribuiu para facilitar o cargo para o qual fui eleito pelos membros das Assembleias. Os meus agradecimentos vão também para todos os outros Srs. vereadores da Câmara que tiveram assento nas Assembleias dos últimos 8 anos, assim como a todos os Srs. Deputados que nestas participaram.
Agradeço também aos órgãos de informação local e regional ,Jornal da M.G. , R.C.M. , Jornal de Leiria e Região de Leiria, pela colaboração respeito institucional e pessoal com que sempre me distinguiram.
Agradeço à Dra. Lina Frazão Chefe de Divisão da Câmara Municipal e á responsável do Gabinete de Apoio á Assembleia Municipal, Dra. Paula Moreira, por todo o apoio que me prestaram durante estes 8 anos em que exerci o cargo de Presidente da Assembleia Municipal.
Parto com o sentimento do dever cumprido, mas julgamento em causa própria, pode estar a ser influenciado por qualquer egocentrismo que em mim desconheço.
Parto e espero não voltar.
Porém, só a vida e as circunstâncias confirmarão este meu desejo de hoje.
Afinal parto sem deixar de partir, sempre e quando esta terra que me acolhe há mais de 6 décadas, de mim necessitar e eu estiver á altura dos seus desafios.
A todas e a todos, muito obrigado."

 

Marinha Grande 24 de Outubro de 2017


Telmo Ferraz
Presidente da Assembleia Municipal de 2009 a 2017