Hoje
Máx C
Mín C

Intervenção do diretor do Agrupamento de Escolas MG Poente

Pte d presidente cesariosilva 1 728 2500

Intervenção de Cesário Silva

"Muito bom dia,


Começo por cumprimentar o Sr. Primeiro-ministro, o Sr. Presidente da Assembleia Municipal, o Sr. Presidente da Câmara Municipal, a Sr.ª Eurodeputada Prof.ª Maria João Rodrigues, os Srs. Deputados, os Srs. Vereadores e os Srs. Presidentes de Junta e todos os representantes de entidades e instituições presentes que diariamente contribuem para o crescimento e desenvolvimento do concelho da Marinha Grande.


Sobre a iniciativa que nos trás aqui hoje parece-me importante realçar que só existe desenvolvimento sustentado se o mesmo assentar numa visão estratégica que valorize os recursos humanos e seja capaz de contribuir para um maior e melhor nível de qualificação dos cidadãos.


É isso que diariamente fazem as instituições de educação e formação do concelho e da região.


São disso exemplo a preocupação em promover uma oferta educativa e formativa diversificada e complementar ao nível do ensino profissional e de uma oferta formativa virada para a investigação, as empresas e o emprego no caso das instituições de ensino superior.


Mas, apesar da educação e da formação das gerações mais jovens ser uma aposta de toda a comunidade também a educação e a formação da população adulta que, por motivos vários se viu obrigada a ingressar no mundo do trabalho precocemente, sem uma certificação académica ou qualificação profissional, constitui um dos vetores fundamentais para a prevenção de situações de desemprego e combate ao emprego precário. Nesse aspeto, os Centros Qualifica constituem a porta de entrada para a população adulta melhorar os seus níveis de qualificação e empregabilidade.


Mas as escolas são também instituições que, para além de desenvolverem uma formação académica e ou qualificação profissional sólidas assumem também o compromisso de contribuir para a formação de cidadãos livres, responsáveis, autónomos e solidários no quadro de uma efetiva igualdade de oportunidades.


Nesse sentido, destaco a importância da realização de formação em Português para Falantes de Outras Línguas, em funcionamento no concelho, destinada aos adultos estrangeiros, muitos deles, pais de crianças e jovens em idade escolar para os quais o domínio básico da língua portuguesa constitui uma estratégia de inserção social e profissional.


Mas ter a visão e vontade não basta. É preciso cada vez mais envolver outros parceiros sendo, no caso em apreço, de destacar as associações empresariais, as instituições de educação e ensino superior e as instituições de emprego, fundamentais para se alcançarem muitos dos objetivos que fazem parte do documento que vai hoje ser assinado.


Se me perguntam se esta proposta contempla todas as dimensões inerentes a um desenvolvimento sustentado de uma comunidade respondo que não. Mas respondo igualmente que nunca os terá por muitos meses ou anos que o mesmo esteja a ser discutido, tanto mais que a imprevisibilidade a que estamos sujeitos apenas nos exige a humildade necessária para dizer que o caminho se faz caminhando e que na Marinha Grande em muitas áreas existe um largo caminho percorrido que é necessário continuar a desenvolver com os olhos postos no futuro.


A este propósito recordo as palavras do cantor Geraldo Vandré quando diz:


Vem, vamos embora/ Que esperar não é saber/ Quem sabe faz a hora / Não espera acontecer.


Por não podermos esperar acontecer é necessário continuar a investir na requalificação e apetrechamento das nossas escolas, nomeadamente no desenvolvimento da ciência e da tecnologia pelo que a defesa de projetos como o Pense Indústria assume especial relevância devendo ser implementado logo a partir do 1º ciclo, bem como o reconhecimento da Marinha Grande como Centro de Engenharia e Design.


O reforço da relação entre as escolas, os setores empresariais e a comunidade tem constituído também uma preocupação de todos nós, afigurando-se o projeto “Academia Pró-Estágio” como uma das estratégias de aproximação entre a educação, formação e o emprego através da capacitação e valorização dos tutores que acompanham a formação em contexto de trabalho dos jovens em formação.


Não posso deixar de referir que a comunidade marinhense se caracteriza pelo seu espirito empreendedor e inovador mas, sobretudo, pela sua capacidade de correr riscos e recetividade a novos desafios. Somos também disso exemplo, no âmbito da educação, ao integrarmos o Projeto-piloto de Inovação Pedagógica onde, a nível nacional estão 6 agrupamentos.


Em suma, um caminho que não sendo fácil exige cada vez mais ser feito em parceria, complementaridade e compromisso em prol de uma sociedade que se quer mais justa onde a educação e a formação sejam reconhecidas como pilares para o desenvolvimento das comunidades e combate a quaisquer formas de exclusão social, intolerância, discriminação ou preconceito.

 

Cesário Silva
Diretor do Agrupamento de Escolas Marinha Grande Poente